Controlo do Volvo FM
Vai esquecer-se de que está a conduzir um camião

A suspensão do novo Volvo FM foi completamente revista para corresponder ao desempenho de controlo do novo Volvo FH. Em especial, a estabilidade de curso e o controlo de direcção foram consideravelmente melhorados. Parece até que o Volvo FM se agarra mais à estrada – dado que a posição de condução é mais baixa.

Em geometria, as mais pequenas alterações podem, por vezes, significar grandes diferenças. Niklas Fröjd, especialista em dinâmica de veículos, começa com exemplo disso mesmo – o posicionamento de um estabilizador.

“Quando um camião completamente carregado começa a virar, muito binário de rolamento com origem no reboque chega ao chassis do tractor. Esta força pode passar aos eixos e provocar o desalinhamento das rodas – uma sensação desagradável para o motorista que terá de o compensar. Mas, colocando o estabilizador perto da posição do prato de engate, essa força passa agora para o solo. Isso representa um enorme melhoramento em termos de estabilidade em curva do camião.”

Tudo foi substituído, actualizado ou melhorado

Uma coisa leva a outra

A nova posição do estabilizador é igualmente útil para evitar as forças que normalmente chegam ao chassis de pisos irregulares. Isso, claro está, torna a viagem mais confortável e melhora a estabilidade de curso. Existe ainda outro benefício ao curvar:

“Digamos que está a conduzir numa rotunda – as forças de viragem fazem com que a cabina role. Mas a instalação do novo estabilizador na suspensão traseira reduz esse efeito. O reboque transmite agora menos força à cabina.”

Inclinação para um melhor comportamento

O controlo de direcção também foi aperfeiçoado pela geometria. “Introduzimos uma ligeira inclinação no sistema de suspensão”, diz Niklas Fröjd, inclinando um pouco a mão esticada. “Claro que nada disto é visível, mas antes estava paralelo ao solo. O novo ângulo cria uma ligeira força contra-direccional quando se vira ou curva.”

Para além de evitar quaisquer tendências de excesso de viragem, esta é uma das coisas que lhe permite escolher a sua linha na estrada e sentir como o camião a segue.

Volvo FM na ponte

Todos os pequenos detalhes

Em conjunto com a geometria melhorada, toda a suspensão são revista e optimizada. Assim, tudo foi substituído, actualizado ou melhorado para conseguir o resultado pretendido – a rigidez das molas e os sistemas de amortecimento, por exemplo. Até a suspensão do motor foi melhorada para provocar menos vibrações. Menos vibrações significam menos cansaço para o motorista. E um motorista que se sente bem é mais seguro do que um desconfortável ou exausto.

Situações de teste

Stefan Axelsson foi responsável por verificar o desempenho da nova suspensão. Gosta do facto de achar que pode confiar no camião em situações difíceis em que a margem de erro é diminuta. “Quando se encontra um veículo de frente numa estrada regional, por exemplo, a mente vai ao limite numa fracção de segundo. É nessa altura que se descobre a dimensão do controlo de direcção do camião”, diz ainda.

Niklas Fröjd

Surpresas?

Stefan Axelsson pensa bem antes de responder. “Nem por isso, acho que é sobretudo uma visão. O surpreendente é a forma exacta como se pode conduzir numa estrada sinuosa – agora que tem qualidades de controlo semelhantes às de um automóvel. Com outros camiões, não nos atreveríamos a chegar tão longe.”

A realidade

Niklas Fröjd acredita que isso tem muito a ver com a uniformidade da nova estrutura. “Não existe nada a ocultar a interpretação da estrada, a geometria dá uma sensação de maior ligação. E porque constitui um sistema de camião e reboque dinamicamente estável, também é mais confortável”. Admite estar orgulhoso, mas o que realmente transparece é um sentimento de satisfação pessoal. “Consegue-se o que se procura – um sentimento de condução verdadeira.”



3
Controlo