Rodar o volante só com um dedo – Direcção Dinâmica Volvo

A Direcção Dinâmica Volvo é a maior novidade do sector desde a invenção do servo. No novo Volvo FMX, enfrenta as superfícies mais difíceis em estrada ou fora de estrada, cansando menos o motorista.

“É exactamente o que é preciso no sector da construção – alguma tecnologia inteligente entre o motorista e os buracos”, diz o engenheiro sénior de chassis, Jan-Inge Svensson.

Os buracos mais pequenos são o maior problema

Direcção na ponta dos dedos

A assistência é progressiva, pelo que a Direcção Dinâmica Volvo tem muito para oferecer a baixas velocidades. É nestas situações que as viragens frequentes com cargas pesadas podem ser realmente difíceis. “Costuma-se ver os motoristas inclinados para a frente para terem mais força na parte superior do corpo”, explica o engenheiro de desenvolvimento, Kristoffer Tagesson. “Mas esta inovação torna possível manobrar um camião completamente carregado com um só dedo. E aplicando a força exacta a cada instante, a roda vira sempre da mesma forma – independentemente das perturbações na estrada. Isso torna a direcção mais previsível.”

Ignore os buracos e tenha um melhor rendimento

Comparada com o servo num veículo de passageiros, a Direcção Dinâmica Volvo tem várias funcionalidades sofisticadas. Por exemplo, pode anular as perturbações na estrada, como explica Jan-Inge Svensson.

“Os buracos costumam provocar esticões na direcção, mas este sistema anula a perturbação mesmo antes de ela ocorrer. Os buracos mais pequenos são o maior problema, dado que podem transformar uma estrada de gravilha num piso irregular, obrigando a reduzir a velocidade. Assim, a direcção pode reduzir ou aumentar a sua produtividade.”

 

A Direcção Dinâmica Volvo tira literalmente o peso dos ombros do motorista.
Ombros

O cansaço incomoda

Quando se forma gelo no alcatrão, ou num estaleiro, os motoristas podem sentir as vibrações por todo o corpo. “Filtrando as perturbações, podemos tornar a condução menos cansativa. E, com menos fadiga, o resultado é um motorista mais seguro que faz um trabalho melhor”, diz Jan-Inge Svensson.

Marcha-atrás sem mãos

“Com nove ou dez toneladas sobre o eixo dianteiro do camião e as rodas completamente viradas, fazer marcha-atrás é difícil”, diz Kristoffer Tagesson. “Com a Direcção Dinâmica Volvo, o camião engrena a marcha-atrás e recua com um esforço mínimo. Depois pode largar o volante e ver como roda suavemente até o camião ficar direito”. Como tem uma funcionalidade de retorno do volante, a ajuda é libertada assim que o volante regressa à posição neutra.

Precisão em tempo real

A Direcção Dinâmica Volvo combina a direcção hidráulica e um motor eléctrico, disponibilizando até 85 por cento do esforço de direcção necessário a baixas velocidades. O motor é controlado electronicamente 2000 vezes por segundo, proporcionando o nível de assistência perfeito em cada momento. “Isso dá uma ideia da precisão”, diz Jan-Inge Svensson.

“A tecnologia assenta numa plataforma de Sobreposição de Binário, o que significa que temos um intervalo muito alargado para expandir esta funcionalidade no futuro. Acredito que esta tecnologia fará pela direcção o que a I-Shift fez pelas caixas de velocidades. Vai ser uma opção muito popular.”

Jan-Inge Svensson

Pequenas coisas significam mais a velocidades elevadas

A nova direcção também pode compensar a variação de fricção nas diferentes rodas, comum quando se trava em superfícies desniveladas. Uma outra funcionalidade compensa o deslocamento da direcção provocado pela inclinação da estrada – uma fonte de irritação constante em auto-estradas. Estas duas qualidades ajudam a proporcionar uma maior estabilidade direccional e a eliminar as forças da direcção. “Quanto mais difícil for o terreno, mais o irá apreciar”, diz Kristoffer Tagesson. “Mesmo com vários eixos, a Direcção Dinâmica Volvo faz com que pareça ser um camião normal numa estrada normal.”

Menos lesões por desgaste

Actualmente, até os motoristas mais jovens começam a sofrer de problemas ao nível do pescoço e dos ombros. Mais ainda no sector da construção. “Neste aspecto, a Direcção Dinâmica Volvo não é apenas uma questão de conforto”, diz Jan-Inge Svensson. “É uma questão de reduzir o desgaste dos motoristas e maximizar a produtividade. Do ponto de vista do motorista, pode prolongar a carreira activa sem problemas ao nível dos ombros. E com a falta actual de bons motoristas, menos baixas por doença e maior produtividade são factores mais valiosos do que nunca”.

Olhando para os dois engenheiros, é visível a sensação de satisfação. “Sim”, diz Kristoffer Tagesson. “Isto revelou-se ainda melhor do que esperávamos.”

Fique a conhecer as vantagens da Direcção Dinâmica Volvo num estaleiro de construção



2
Direcção