15/4/2014

Caminhão equipado com caixa I-Shift é mais um passo na história de sucesso da linha VM



Os Volvo VM que chegam ao mercado equipados com a caixa eletrônica I-Shift são a continuidade de gerações de caminhões que transformaram o mercado brasileiro de veículos comerciais. “O VM trouxe inovações que eram desejadas há muito tempo e que repercutiram de imediato no setor de transportes brasileiro e latino-americano quando foi lançado em 2003”, lembra Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo no Brasil.

"A cabine leito introduzida pela Volvo naquela época era reivindicação antiga dos transportadores e dos motoristas. Há muito tempo eles queriam um ambiente de trabalho mais moderno, melhor e mais confortável", recorda Francisco Mendonça, gerente de caminhões da linha VM. "Contribuímos para mudar todo um segmento", complementa Álvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da Volvo.

Os primeiros VM que chegaram ao mercado brasileiro eram veículos semipesados, com chassi rígido e opções de eixos 4x2 e 6x2. "O VM era o único caminhão brasileiro em sua classe a ter cabine leito, coluna de direção ajustável, um sistema de basculamento hidráulico da cabine, tanques opcionais de combustível de maior capacidade, além de opcionais importantes para a operação de transporte, como diversas configurações de entre-eixos e relações de diferencial. Foi realmente uma grande mudança neste segmento", diz Ricardo Tomasi, engenheiro de vendas da Volvo no Brasil.

Piloto automático

Em 2005, a Volvo voltou a inovar e apresentou ao mercado brasileiro e latino-americano a segunda geração da linha VM. "Os modelos da nova linha chegaram com avançados motores eletrônicos e piloto automático", destaca Menoncin. E duas grandes novidades foram introduzidas: o cavalo mecânico VM, na configuração de eixos 4x2, com motorização eletrônica de 310cv, e os VM rígidos rodoviários de 210cv e de 260cv, além dos rígidos 6x4 de 260cv e 310cv, toda a linha com motores Euro 3.

O cavalo mecânico VM 4x2 era um caminhão voltado para o segmento de transporte que necessitava de veículos para carretas com até três eixos. Com o family look dos veículos da marca, a segunda geração também foi uma evolução: tinha um motor de 6 cilindros e um eixo para 43 toneladas com bloqueio de diferencial. O trem de força tinha uma caixa de câmbio Volvo, já consagrada no mercado brasileiro e em outros países do continente - a VT2214B, a mesma do FH.
  
Euro 5

Em 2011, o mercado recebia a terceira geração VM, já com motores Euro 5, com as opções de veículos rígidos de 220 cv, 270 cv e 330 cv, e o cavalo mecânico também de 330 cv. No mesmo lançamento a Volvo apresentava os VM vocacionais rígidos com propulsores de 270 cv e de 330 cv. A nova geração chegava com a tecnologia SCR para atendimento da legislação de emissões Euro 5/Proconve P7, oferecendo ainda opções de caixa de câmbio e eixos traseiros para atender a todas as necessidades dos transportadores. "E, mais uma vez, o VM se destacava por seu baixo consumo de combustível, grande disponibilidade e robustez", diz Marco Mildenberg, engenheiro de planejamento de produto da Volvo no Brasil.

Mais informações, Newton Chagas - Volvo Group Latin America Assessor de Imprensa – Comunicação Corporativa Tel.: 55 41 317 8296 - E-mail: newton.chagas@volvo.com

Registre-se para receber Notícias da Volvo Caminhões

Você gostaria de ser avisado por e-mail e/ou telefone celular quando a Volvo Caminhões publicar notícias nesta página ou em nosso portal WAP? Por favor, preencha abaixo seu nome, empresa, endereço de e-mail e/ou número de telefone celular.

  •  
  •  
  •  
  •  

Clicando aqui, você permite à Volvo Caminhões manter seus dados pessoais e utilizá-los para os propósitos relacionados à sua consulta.