Suspensão pneumática do Volvo FMX
Quando uma estrada tem este aspecto – pedal a fundo

Até agora, a suspensão pneumática foi um conforto sobretudo para motoristas em veículos de estrada, devido à pouca distância ao solo. Mas então alguns engenheiros da Volvo Trucks decidiram virar a nova suspensão pneumática ao contrário – combinando a distância ao solo da suspensão de molas com o conforto e a eficiência da suspensão pneumática.

Num ambiente de construção, a tolerância é pouca para molas e foles de ar que fiquem abaixo do eixo. Simplesmente são uma interferência para preciosa distância ao solo. “Assim, colocámos estas coisas sobre o eixo motriz, onde são menos vulneráveis”, diz o planificador de produtos Bosse Franzon. “Isso resulta em, pelo menos, 300 milímetros de distância ao solo, deixando a suspensão de estar na mira de pedras e calhaus.”

Complacente mas firme

Barras estabilizadoras melhoradas também têm um papel importante na nova suspensão pneumática. Viradas para cima e posicionadas entre os eixos, transmitem agora as forças da estrada e do reboque para a parte mais rígida da carroçaria para melhorar a estabilidade de rolamento.

“A suspensão pneumática tem um sistema de controlo inteligente que garante que a distribuição da carga entre os eixos é optimizada para proporcionar a máxima estabilidade de basculação”, acrescenta o planificador estratégico Peter Frleta. “Quem pensa que todas as básculas com suspensão pneumática são moles, vai ter uma surpresa.”

Já não está na mira de pedras e calhaus

Quem precisa de conforto para carregar gravilha?

Depois de ter sentido os efeitos de pisos irregulares quando conduziu em estradas de estaleiros atoladas, Peter Frleta acredita que é aí onde se justifica mais a suspensão pneumática: “As vibrações passam do chassis, para a cabina e para o motorista. Parece que estamos a ser defeitos em pedaços.” Pára por um momento. “Não admira que os motoristas que testaram a nova suspensão pneumática ficassem contentes por continuar a testar – não queriam voltar ao cansaço que significa conduzir um camião convencional.”

O camião também beneficiam, dado que se verificam menos danos por vibrações, o que acaba por aumentar a disponibilidade. Ainda por cima, o maior ritmo aumenta a produtividade. “Verificou-se um aumento de 5 a 10 km/h – apenas como consequência do conforto’’, acrescenta Peter Frleta.

Saliência traseira mais curta

O novo design da suspensão não deixa nada atrás do eixo traseiro que interfira com a basculação. Um dos benefícios dessa característica é conseguir uma basculação directamente sobre uma espalhadora de asfalto. “O eixo de basculação pode ficar muito perto da roda traseira, com uma saliência traseira muito curta. Os benefícios são muito, mas afinal é a primeira suspensão pneumática concebida especificamente para o sector da construção”, diz Bosse Franzon.

Em toda a gama

A nova suspensão pneumática está disponível com as configurações de eixos 4×2, 6×4 e 8×4. Isso inclui o conceito Tridem, concebido para suportar um peso bruto de 36 toneladas num bogie de três eixos e mais 10 toneladas à frente, para uma capacidade total de 46 toneladas. Os foles de ar, como todos os outros componentes da suspensão pneumática, estão numa posição bem alta.

Peter Frleta

O melhor dos melhores

O Volvo FMX com chassis extra alto para o sector da construção pode ser especificado com suspensão pneumática traseira, em conjunto com travões de disco ou tambor. Juntamente com as configurações Tridem, Bosse Franzon considera esta característica fundamental para uma capacidade de manobra fantástica. “O facto de ser possível optar por travões de disco significa que também pode ter Direcção Dinâmica Volvo. E com a melhor suspensão, os melhores travões e a melhor direcção, o camião assume uma personalidade completamente nova.”

Peter Frleta lembra a I-Shift. “Nesse caso, quero o meu com a melhor transmissão também.”

Saiba mais sobre a suspensão traseira pneumática para camiões de construção

7
Suspensão Pneumática