Todas as peças vitais estão protegidas

O novo Volvo FMX eleva a fasquia em termos de distância ao solo. Ramos e pedras soltas já não são a ameaça que costumavam ser.

As pessoas que testaram o novo camião com suspensão pneumática dizem que será indispensável – nas florestas russas, nas pedreiras sul-africanas ou em qualquer estaleiro.

Apenas as rodas ficam de fora

300 milímetros acima do solo

Anteriormente, a suspensão pneumática era conhecida por ter demasiado pouca distância ao solo, o que impedia uma utilização alargada no sector da construção. Mas a nova suspensão pneumática traseira está prestes a mudar essa situação. O novo design coloca peças vulneráveis como molas e foles numa posição mais alta – acima dos eixos motrizes – onde estão menos expostos.

“Isso resulta em, pelo menos, 300 milímetros de distância ao solo, deixando a suspensão de estar na mira de pedras e calhaus”, diz o planificador de produtos Bosse Franzon, continuando. “Os travões de disco estão agora protegidos por caixas de segurança e até estas estão 340 milímetros acima do solo. Agora, apenas as rodas ficam de fora."

Os camiões nem sempre são o que parecem

Uma das pessoas responsável pelo novo chassis é Jonas Odermalm. Ele destaca que, com a distância ao solo, o que se vê nem sempre é o que se tem: “Às vezes, a dianteira de um camião poderá parecer alta, mas deixa componentes do motor expostos logo atrás do pára-choques. Alguns podem ter uma cobertura de plástico a protegê-los, mas isso é inútil. O Volvo FMX, por outro lado, tem uma placa de protecção muito resistente para proteger o radiador e outra peças vitais.”

A linha central

Um eixo motriz dianteiro completamente novo também tem um papel importante em termos de distância ao solo. Este foi movido 100 milímetros mais para a frente para melhorar o ângulo de aproximação. A parte mais baixa, a barra paralela, está agora protegida atrás da bainha do eixo traseiro.

Distância ao solo

“Claro está, entre os eixos temos todos os componentes do chassis, mas estes sempre estiveram numa posição mais alta num Volvo”, diz Bosse Franzon. “Se olhar para o perfil da parte de trás do camião, poderá ver que a linha central está alinhada – isso ajuda a evitar ficar preso sobre superfícies desniveladas”, acrescenta.

Paus e pedras

A protecção do cárter que protege a parte de baixo da dianteira não é nova, mas é única na indústria dos camiões. “Trata-se de uma verdadeira placa antiderrapante, concebida para resistir a um impacto até quatro toneladas a meia de um objecto do tamanho de um punho”, diz Jonas Odermalm. Cria uma superfície plana do pára-choques ao eixo e protege o radiador e componentes do motor sobre paus e pedras. “Por outro lado, se for contra um monte de areia e fizer marcha-atrás, não ficará cheio de areia”, diz Bosse Franzon, com um sorriso na face.

Saiba mais sobre a suspensão traseira pneumática para camiões de construção

5
Distância ao Solo